20/03/2008



Os Poemas Diamante



Mais um trabalho do Luís Mourão, tutor THEKA e professor na EB1 da Várzea Leiria com os seus alunos do 2º Ano




Poema diamante




Poema diamante, algumas vezes pelo conteúdo, sempre pela forma.
Um jogo muito simples de palavras e exploração de conceitos (oposto; contrário; antónimo) que se constrói com base num esquema de múltiplas variantes.


Nós trabalhamos, aqui no 2º ano da EB1 da Várzea, normalmente sobre esta base:


Um nome


Dois adjectivos


Três características


Uma frase (sobre o nome)


Uma frase de sentido contrário


Três características opostas


Dois antónimos


Um nome





No dia 11 de Fevereiro de 2008 era a segunda ou terceira vez que jogávamos e os poemas saíram, por exemplo, assim:




Lápis


escreve e desenha


é bonito, é grande e amarelo


parte-se e os meninos ficam a chorar


parte-se e os meninos ficam a rir


é feia, é pequena e é verde


apaga e borra


Borracha


Escreveu a R.



A J. escreveu:


Lápis


é grande e desenha


o bico é grande e parte-se e tem bonecos


escreve e é bonito e é pequeno e é afiado


não escreve e é feia e é grande e é romba


o bico é pequeno e não se parte e não tem bonecos


não escreve e não desenha


Afiadeira





O F. Mudou de assunto e iniciou uma longa série de poemas animalescos:


Vaca


Come erva e muge


boa, bonita e tem pintas


ela dá leite, é amiga e tem cornos


ele dá carne, é inimigo e tem cornos


mau, feio e não tem pintas


come erva e muge


Boi






O H.:


Peixe


come peixes, é bom


bonito, amigo e comilão


não gosta de baleias


gosta de baleias


feio, inimigo, enfastiado


come erva, é mau


Cavalo








O M.:


Vaca


dá leite e come erva


gorda, média e boa


dá muitas coisas boas


dá poucas coisas boas


magra, pequena e má


não dá leite nem come erva


Cobra








A B.:


Girafa


come e é muda


boa, bonita e linda


tem o pescoço muito alto


o pior amigo dela é o homem


a melhor amiga dele é a menina


mau, feio e tótó


arranha e ruge


Leão


O G. escreveu, contrariando em grande parte os constangimentos da estrutura sobre a qual estávamos a trabalhar e obteve um resultado notável:


Barco


apito e fumo


feio, grande, gordo


e o brilho do barco


e uma carapaça escura


bonita, pequena, magra,


silêncio e água


Tartaruga




A D. resolveu recuperar, na ideia, um trabalho que tínhamos realizado anteriormente. O que ela escreveu foi:


Várzea


bonita e pequena


é uma aldeia, silenciosa e baixa


é muito alegre e lindíssima


é muito triste e feiíssima


é uma cidade, barulhenta e alta


feia e grande


Leiria




Em Dezembro, depois de alguns episódios pícaros, tínhamos, finalmente, iniciado a nossa correspondência por correio com uma turma do 2º ano, como nós, da Professora Lourdes Fragateiro da Escola São José, em Lisboa. Eles escreveram-nos primeiro e nós preparamos o melhor que pudemos uma resposta: um pacotinho de coisas sobre nós e sobre a nossa aldeia.
Entre essas coisas um poema diamante, construído colectivamente no quadro negro, com a Várzea num extremo e Lisboa no outro, assim:





Várzea


pequena e bonita


tem árvores, campos e caminhos


um museu, cafés, lojas e uma capela


é uma aldeia muito calma, silenciosa e alegre


é uma cidade muito movimentada, barulhenta e triste


com muitas pessoas, carros e autocarros


tem teatros, cinemas e centros comerciais


grande e linda


Lisboa


Como se pode constatar as regras foram, por unanimidade, alteradas mais uma vez. Neste caso por questões elementares de cortesia e bom senso mas também porque Lisboa é, pelo menos vista da Várzea, mesmo linda.



Luís Mourão

2 comentários:

Gardagami disse...

See here or here

maria de jesus disse...

Descobri hoje belos trabalhos de Luis Morão , meu colega de curso em Leiria . Já nessa altura era um excelente ser humano virado para as artes . Desde aí sempre soube que iria ser uexcelente professor. tenho imensa pena de não o ter por perto , pois seria uma fonte de inspiração para mim. Esta ideia do poema Diamante vai ser implementada na minha sala de aula.porque é encantadora e está de acordo com o trabalho de poesia que desenvol este ano lectivo com os meus alunos na EB1 DE Paião- Figueira da Foz.Beijos Maria de Jesus Caeiro do do Manuel Ribeiro